O dia que eu fiz dieta...

Logo eu que vivo dizendo para ninguém fazer dieta? Já vou logo me explicando: eu consultei com uma terapeuta Ayurveda que passou uma monodieta de apenas 2 dias. Obviamente o foco não era emagrecer, mas “colocar as coisas nos eixos”. Essa experiência trouxe tantos insights que eu achei que valia a pena romper o meu jejum de Instagram e compartilhar com vocês como foi essa aventura.

A ideia da monodieta é passar um dia inteiro comendo um único tipo de comida. Pensei que isso seria moleza já que gosto muito de todos os ingredientes que a terapeuta prescreveu. Tranquilo, né? #SQN

Na primeira refeição do primeiro dia comi feliz porque estava animada em fazer esse tratamento e porque a comida estava gostosa. Na hora do almoço a minha animação já tinha diminuído consideravelmente, comi o mínimo necessário para matar a minha fome, já não estava achando mais aquela comida muito apetitosa. Isso eram 13h da tarde e a partir daí simplesmente não consegui comer mais nada! Só de pensar naquele caldo eu já sentia ânsia de vomito 🤢 Fui dormir com fome e cedo porque parecia que toda a comida da minha casa estava me seduzindo. Acho que nunca na vida senti tanta vontade de comer as frutas da minha fruteira 🤤

No segundo dia enquanto picava a mandioca só conseguia pensar: queira Deus que essa dieta de hoje não me faça pegar ranço disso porque eu AMO mandioca! Spoiler: Não fez 🙌🏻 A comida do segundo dia estava com um gosto mais neutro e fácil de comer, não passei fome masssss passei MUITA vontade! De TU-DO. Abrir a geladeira para pegar água era um sofrimento, de repente tudo parecia incrivelmente gostoso! E eu não tive como não lembrar do sofrimento das minhas clientes que chegam até mim vivendo isso há anos! Eu sempre falo que quando separamos alimentos entre proibidos e permitidos acabamos colocando os que consideramos proibidos em um pedestal e ficamos adorando-os porque afinal como diz aquele ditado: o proibido é sempre mais gostoso. No caso da comida isso é #realoficial! Eu não faço dietas há mais de 10 anos e realmente não lembrava como é viver na mentalidade dela. Agora eu lembrei: É TORTURA! Você passa o tempo todo pensando nas comidas que não pode comer e come as que pode na força do ódio já que sendo elas permitidas perderam seus encantos.

No dia seguinte a vida voltou ao normal, a maçã deixou de parecer o Denzel Wasshington (meu muso mor) para voltar a ser apenas uma maçã que eu posso ou não comer e que por acaso nem comi porque preferi abacaxi. Tenho certeza de que só não tive nenhum tipo de comer emocional depois por que:

  1. Foi bem pouco tempo.

  2. Estou mesmo toda trabalhada no Mindful Eating

  3. Fiquei feliz com o resultado da experiência que valeu não só para começar a resolver as minhas questões, mas também me colocar na pele de alguém que sofre com a mentalidade das dietas. Levei a empatia para outro nível!



Posts recentes

Ver tudo