icon-fundo-transparente.gif
Buscar

Quantas vezes nos agarramos a situações que nos causam dor por medo do desconhecido, do novo? É bem comum minhas clientes chorarem durante as primeiras sessões porque não aguentam mais sofrer por causa das dietas, não aguentam mais tantas restrições, tantos episódios de comer emocional, comer sempre com culpa, viver em guerra com a balança... Mas quando eu falo que o primeiro passo é rejeitar a mentalidade de dieta, porque foi justamente isso que provocou todo esse sofrimento e ganho de peso algumas se apavoram. “Como assim? Você está me dizendo que tudo que eu fiz a vida toda para controlar meu peso foi justamente o que me engordou? Você está me dizendo que controlar os alimentos, não me permitir comer os que eu julgo não saudáveis fez com que eu os comesse de forma descontrolada?” É realmente um choque! E é necessário tempo e confiança no processo e em si mesma, na sua sabedoria interior para desconstruir tudo isso e começar um novo caminho muito mais leve e gentil, mas eu garanto que é possível e acontece! É lindo acompanhar a evolução delas e ver, com o passar das semanas, o medo e as lágrimas dando lugar a satisfação e sorrisos! Aí quem tem vontade de chorar de alegria sou eu! 🤗 O primeiro passo é olhar para a raiz da dor: quando foi que o seu relacionamento com a comida começou a dar ruim? Você consegue lembrar? Quando foi que comer deixou de ser algo corriqueiro e prazeroso e começou a se tornar um momento de preocupação? Quando foi que você começou a ganhar peso de forma descontrolada? Consegue fazer essa associação com o momento em que a palavra DIETA e tudo que ela trás entrou na sua vida? Então solta! Se dê uma chance de tentar algo novo, afinal qual a pior coisa que pode acontecer?



3 visualizaçõesEscreva um comentário

1. Reflita quais os motivos que te levam a não tratar seu corpo com respeito e gentileza. Traduzindo: que mensagens chegam até você? Quais perfis você segue nas redes sociais? Eles te ajudam ou te atrapalham? Faça uma limpa nos perfis que te fazem sentir inadequada! Lembre-se que existe uma indústria da beleza e do emagrecimento que fatura bilhões as custas da nossa insatisfação corporal. Nós somos o alvo! Por isso fique atenta a mensagens implícitas ou explícitas e não compre elas como verdades absolutas. 2. Entenda que isso não é uma exclusividade sua. 96% das mulheres estão insatisfeitas com a sua imagem corporal! Saber disso nos dá a noção do tamanho do problema mas também pode nos estimular a mudar isso. Sabe aquele ditado: Seja você a mudança que você quer no mundo? Pois é... 3. Perceba seu corpo como o que ele de fato é: seu veículo de vida! Se você não tivesse o corpo que tem você não estaria viva! Independente da sua forma ou número que aparece na balança seu corpo trabalha com afinco para te manter sua vida! Logo é absolutamente inteligente cuidar bem dele, né não? 4. Seu corpo não é um ornamento para ser admirado ou criticado pelos outros portanto não aceite elogios baseados na sua aparência nem tampouco se deprecie. Você não é seu corpo, logo seu valor como pessoa não está nele. 5. Comece o dia agradecendo pela funcionalidade do seu corpo. Ex: obrigada coração por bombear sangue, obrigada pulmão por fazer as trocas gasosas, obrigada olhos por enxergarem, etc 6. Quando surgirem vozes e pensamentos críticos reflita: a) eu falaria isso para uma amiga? b) eu falaria isso para qualquer pessoa? c) o que uma amiga diria para mim agora? Adote uma postura de não julgamento. 7. Inclua pequenas práticas de autocuidado na sua rotina: beba água, coma frutas e hortaliças, passe um hidratante após o banho, faça uma massagem nos pés, escute uma música uma música que te deixa feliz... 8. FINJA QUE AMA! Isso mesmo! Se você ainda não é capaz de nutrir amor pelo seu corpo finja que tem! Assim mais dia menos dia isso se torna verdade :)


6 visualizaçõesEscreva um comentário

Você sabia que cerca de 96% das mulheres não gostam do corpo que tem? Se você faz parte desse enorme grupo eu gostaria que você parasse um pouco e refletisse sobre o real motivo por trás da sua insatisfação corporal. Se dê a chance de se questionar os motivos que te levam a pensar que você não é bonita ou atraente. Afinal, o que é uma pessoa atraente pra você? Como você construiu esse ideal de beleza? Quais foram as suas influências para chegar nesse "padrão"? Você já parou para pensar o quanto a industria da beleza e do emagrecimento se esforça para que você se sinta feia e inadequada? Você já parou para pensar o que aconteceria com essa mesma indústria se amanhã todas as pessoas do mundo acordassem gostando de si mesmas? Você já parou para pensar que essa indústria é totalmente dependente da mídia e vice versa? Você já parou pra pensar que sem perceber nos tornamos uma presa fácil? Eu gosto muito dessa citação da Naomi Wolf : " Uma cultura focada na magreza feminina não revela uma obsessão com a beleza feminina. É uma obsessão sobre a obediência feminina. Fazer dietas é o sedativo político mais potente na história das mulheres; uma população passivamente insana pode ser controlada." É com certeza uma frase bastante forte que nos faz refletir bobre qual nosso verdadeiro papel como mulher na nossa sociedade e como muitas vezes somos tolidas sem nem perceber... Mas a boa notícia é que sempre é tempo de mudar! Sempre é tempo de sairmos da posição de enfeite para de pessoas iguais :)

2 visualizaçõesEscreva um comentário